Abordagem Prática

Sob o olhar da anatomia, o Movimento Sensível desenvolve a interação com as fáscias que compõem o tecido conectivo do corpo

Através de propostas que estimulam este tecido por onde circula o tônus, os movimentos adentram o organismo. Por meio de variações rítmicas, explorações de elasticidades, rotações, torções, espirais, propulsão, dentre diversos outros aspectos que compõem o trabalho, o corpo vai se movendo junto à expansão da própria vitalidade, e da evolutividade do movimento interno.

As orientações para as práticas corporais compreendem a espacialidade dentro e fora do corpo, as sintonias com o biorritmo, a pausa, as articulações, o equilíbrio e outra série de aspectos que nos abrem à escuta do mover em relação consigo, com o outro e com o meio circundante.

Adentramos o universo do Sensível que trabalha os movimentos objetivos e subjetivos de um mesmo corpo vivo: percepção e materialidade, possibilidades de mover e de pensar, de interagir e criar, horizontes de sentir e agir.

Todos os dias abrimos os braços, mas nem todos os dias abrimos as asas

O que me faz abrir os braços? E o que me faz abrir as asas?